Puxada pela desvalorização de cortes do traseiro, cotações acumulam queda de 2,5% nos últimos 30 dias

Na última semana os preços da carne bovina sem osso caíram 0,6% no atacado. Desde o início do ano, os preços apresentaram queda em nove semanas e alta em apenas duas.

Já nos últimos 30 dias, a queda acumulada é de 2,5%, recuo puxado principalmente pelos cortes do traseiro, que caíram, em média, 3,2%. Entre os cortes, destaque para o filé mignon sem cordão, com queda de 9,7% no período.

Os cortes do dianteiro, por outro lado, estão praticamente estáveis, com pequeno recuo de 0,2%, o que mostra a “preferência” do consumidor por cortes com menor valor agregado devido ao menor poder de compra.

Este cenário de recuo nos primeiros meses do ano já era esperado, já que neste período as contas extras colaboram para a preferência pelas proteínas mais “baratas”.

Para os próximos meses, a expectativa é de que esse cenário mude. Indicadores de diferentes instituições mostram que a população acredita em cenário macroeconômico melhor para este ano. Além disso, a Copa do Mundo e as eleições presidenciais podem colaborar para melhora na demanda por carne bovina.

Fonte: Scot Consultoria

Fonte: DBO

Notícias