Atualmente, cargas agrícolas são responsáveis por aproximadamente 12% do transporte ferroviário nacional

O escoamento de grãos por ferrovias deve aumentar já em 2018 com a renovação antecipada de cinco concessões ferroviárias previstas pelo governo federal para serem assinadas entre este e o próximo ano, segundo estimativa o presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate, em nota divulgada nesta terça-feira, 26 de setembro.

"Atualmente, as cargas agrícolas são responsáveis por aproximadamente 12% do transporte ferroviário nacional e este porcentual deve crescer ainda mais com as prorrogações", afirmou. Outro fator responsável pela alta prevista é a crescente produção de grãos do País, na avaliação de Abate.

Segundo a Abifer, as cinco concessões envolvem mais de 13 mil quilômetros de estradas de ferro e devem receber até R$ 25 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos. Elas começam a vencer daqui a 15 anos e devem ser prorrogadas por mais 30 anos.

A primeira delas é a Malha Paulista, operada pela Rumo Logística, já em processo de audiência pública. O trajeto interliga São Paulo e Minas Gerais, por meio de uma linha férrea com 1.989 quilômetros atualmente. Depois será a vez da ferrovia da MRS Logística, com 1.674 quilômetros de extensão e que conecta Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Na sequência, virão a Estrada de Ferro Vitória-Minas (com 905 quilômetros, que atende o Espírito Santo e Minas Gerais) e a Estrada de Ferro Carajás (com 892 quilômetros, que liga o Pará ao Maranhão), ambas operadas pela VLI Logística por meio de concessão da Vale.

Por fim, é apontada a Ferrovia Centro-Atlântica (com 8.066 quilômetros que passam por Brasília e os Estados de Goiás, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Sergipe, Rio de Janeiro e São Paulo), também sob gestão da VLI.


Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: DBO

Notícias