Atraso no plantio de soja deve fazer que produtores plantem menos o cereal, aponta IBGE

Uma revisão para baixo na safra de milho diminuiu a expectativa para a produção agrícola de 2018. A colheita de grãos no País deve totalizar 219,5 milhões de toneladas, uma queda de 9,2% em relação à estimativa de 2017, segundo os dados do segundo Prognóstico para a Safra Agrícola divulgado nesta terça-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado é 700.000 mil toneladas inferior ao estimado pelo primeiro prognóstico, quando eram previstas 220,2 milhões de toneladas para o ano que vem.

A expectativa para a primeira safra do milho passou de 26,1 milhões de toneladas para 25,8 milhões de toneladas no ano que vem, 300.000 toneladas a menos. Já a previsão pata o milho de segunda safra passou de 59 milhões de toneladas para 57,9 milhões de toneladas, 1,1 milhão de toneladas a menos.

"A queda na segunda safra tem a ver com a soja. Esse milho não está plantado ainda. Como atrasou um pouco o plantio da soja e os preços não estão muito favoráveis, estimamos que os produtores vão plantar menos milho de segunda safra", justificou Carlos Alfredo Guedes, gerente da Coordenação de Agropecuária do IBGE.

Apesar da safra menor no ano que vem, Guedes lembra que a expectativa é que o País tenha a segunda melhor produção agrícola da história."A gente está comparando a safra de 2018 com um ano de 2017 que foi excepcional em termos climáticos. É esperada essa queda (na produção). É muito difícil manter esse clima dentro da normalidade. Os produtores esperam um clima não tão bom em 2018 quanto em 2017, mas mesmo assim essa safra é boa", ressaltou o pesquisador.

Segundo Carlos Antonio Barradas, também gerente na Coordenação de Agropecuária do IBGE, o prognóstico para 2018 é melhor do que o inicialmente previsto para 2017. Portanto, ainda há chance de que a próxima safra aumente e surpreenda positivamente. "Tem potencial para melhorar. No ano passado nós fomos revisando as estimativas. Vai depender das condições climáticas. A gente começa o prognóstico de 2018 num patamar bem mais elevado que a primeira projeção para 2017", apontou Barradas.

Entre os cinco principais produtos para a próxima safra, três devem apresentar redução na produção: arroz em casca (-8,0%), milho em grão (-15,9%) e soja em grão (-5,9%).

"A soja está caindo de rendimento. Os produtores acham que o clima não vai ser tão bom quanto em 2017. Já teve atraso no plantio. E a gente acredita que as chuvas não vão ter a regularidade e a distribuição de 2017. Mas a safra de soja será a segunda maior da história. Não é uma safra ruim, mas é menor que 2017", acrescentou Guedes.

No próximo ano, são esperadas altas na produção de algodão herbáceo (4,5%) e de feijão em grão (4,1%). No segundo prognóstico divulgado pelo IBGE, as informações de campo representam 93,8% da produção nacional prevista, enquanto as projeções respondem por 6,2% do total estimado.

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: dbo

Notícias