Até a terceira semana do mês, quantidade embarcada foi 318.3% maior do que no ano passado

Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, em novembro, até a terceira semana, o Brasil exportou 2,21 milhões de toneladas de milho grão. A média diária embarcada foi de 201.070 toneladas neste período.

O volume diminuiu 16%, frente a média exportada em outubro deste ano, mas aumentou 318,3% na comparação com o exportado em novembro do ano passado.

Com a colheita do milho 2017/2018 na reta final nos Estados Unidos e maior disponibilidade os preços do milho norte-americano caíram, aumentando a concorrência com o Brasil no mercado internacional.

Caso o ritmo dos embarques continue, a estimativa é de que o Brasil exportará um volume próximo de 4 milhões de toneladas no acumulado de novembro.

A boa movimentação para exportação nos últimos meses tem ajudado na sustentação dos preços do cereal no mercado brasileiro. Entretanto, a boa disponibilidade interna deverá limitar as altas de preços do milho em 2018.

Fonte: Scot Consultoria

Fonte: DBO

Estimativa de menor safra e retração vendedora tem sustentado preços

Os preços do milho seguem em alta na maior parte das regiões acompanhadas pelo Centre de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq USP), sustentados pela retração de vendedores. Além disso, as novas estimativas da Conab reforçando a menor oferta no Brasil também influenciam a firmeza nos preços internos.

Nesse ambiente, compradores com mais necessidade de aquisição precisam ceder para fechar novos negócios. No geral, a liquidez está baixa, com os poucos negócios envolvendo apenas pequenos lotes. De 8 a 15 de dezembro, na região de Campinas (SP), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa avançou 2,4%, fechando a R$ 32,36/saca de 60 kg na sexta-feira, 15

Fonte: Cepea

Fonte: dbo

Notícias