Um evento do Comitê de Pecuária Moderna reuniu ontem à noite, na sede da Sociedade Rural de Maringá, mais de sessenta pecuaristas da região para tratar sobre melhorias em nutrição animal. Dois grandes especialistas abordaram o assunto, o zootecnista Edson Poppi, referência em silagem no Brasil e o PhD em Ciência Animal, Mateus Castilho, ambos da multinacional Lallemand, uma das principais fabricantes mundiais de produtos para nutrição animal.

O objetivo do evento foi aglutinar os produtores, discutir novas tecnologias em alimentação animal e estimular a melhoria da atividade pecuária no Estado, conforme explicou o técnico da Emater, Antônio Coelho, que organizou o evento junto com o diretor de pecuária da SRM, o zootecnista Jucival Pereira de Sá, os dois integrantes do Comitê de Pecuária Moderna da região de Maringá.

Discorrendo sobre os tipos de silagem com milho e os cuidados que se deve ter no preparo para que o produto mantenha uma boa conservação e qualidade nutricional, Edson Poppi disse que vê “muitos absurdos por aí” e o resultado é uma alimentação de baixa qualidade para o gado.

Ele chamou a atenção para as perdas, que chegam a até 25% na região, e orientou os produtores a buscarem orientação técnica. “A perdas geralmente ocorrem devido a máquinas de corte mal reguladas, corte do milho fora de época e uma compactação fraca, entre outros fatores”, esclareceu. O especialista recomendou aos produtores sempre compactarem muito bem a silagem. “Não existe silagem muito compactada. Existe pouco compactada”, reforçou.

Em seguida, foi a vez de Mateus Castilho falar. Ele abordou o “Efeito dos probióticos na saúde e desempenho dos animais”. Conforme explicou, os probióticos são produtos que estão entrando no mercado para melhorar a digestão dos animais e substituir o continuo uso de antibióticos, adotados no Brasil com a mesma finalidade. “Nos Estados Unidos, os antibióticos já estão proibidos e em breve isso vai ocorrer no Brasil”, informou.

Segundo o especialista, o uso de probióticos em nutrição animal é relativamente novo, mas já existem produtos lançados há vinte anos no mercado. O uso é benéfico aos animais. Ao melhorar a digestão, o gado come mais e ganha peso. Para Castilho, trata-se de um investimento que traz retorno ao produtor.

Na opinião do presidente do Comitê de Pecuária Moderna, José Valdir, o evento foi uma oportunidade importante de atualização. “O pecuarista que não souber trabalhar com eficiência, vai desaparecer”, disse ele.

A presidente da Sociedade Rural, Maria Iraclézia de Araújo, também esteve presente no evento. A realização foi do Comitê de Pecuária Moderna em parceria com a SRM, Sindicato Rural e Emater.


Fonte: Assessoria de Imprensa SRM

Notícias