Das lavouras já plantadas, 95% estão em boa situação, uma piora de um ponto porcentual na comparação com a semana anterior

O plantio da safra de soja 2017/18 no Paraná atingiu 88% da área prevista de 5,453 milhões de hectares no Estado, informou o Departamento de Economia Rural (Deral) nesta terça-feira (14). O número representa avanço de 8 pontos porcentuais em relação ao apurado na semana passada. Das lavouras já plantadas, 95% estão em boa situação, uma piora de um ponto porcentual na comparação com a semana anterior.

O Deral informou ainda que o plantio de milho verão da safra 2017/18 foi praticamente concluído, com 337.440 hectares semeados. Segundo o órgão, 89% das lavouras estão em situação boa, estável ante a semana passada.

Da safra 2016/17, a colheita de trigo no Paraná avançou 6 pontos porcentuais na última semana e atinge agora 96% da área projetada.

Ainda conforme o Deral, da safra que ainda está no campo, 44% das lavouras têm boas condições de desenvolvimento, um aumento de 8 pontos porcentuais na comparação semanal.

Fonte: Gazeta do Povo.




Fonte: dbo

Uso de haste sulcadora e velocidade de deslocamento podem afetar estabelecimento do grão, indica pesquisa da Fundação MT

O uso de mecanismos sulcadores e a velocidade de deslocamento da semeadora pode ter impacto no desenvolvimento da soja, dependendo da planta de cobertura empregada, indica pesquisa da Fundação MT. O estudo realizado no campo experimental de Nova Mutum, MT, trabalhou com diferentes coberturas de solo, como braquiária e crotalária, velocidades de deslocamento da semeadora e uso ou não de haste sulcadora, a “botinha”. Segundo o pesquisador Lucas Cortinove, o impacto de velocidades maiores e do não uso da haste sulcadora foi mais sentido no caso da braquiária. Na área da pesquisa em que a semeadura foi realizada a 6 km/h e sem utilização de haste sulcadora, o estabelecimento inicial da soja foi prejudicado e houve estiolamento. “Isso pode levar a perdas de produtividade e proliferação de doenças, pois dificulta o controle”, diz Cortinove.

O pesquisador, porém, lembra que pode ser complicado fazer o uso da haste sulcadora em grandes áreas no caso de semeadura sobre braquiária, já que a utilização do mecanismo pode ocasionar embuchamento das máquinas. Por isso, o produtor deve levar todas essas informações em consideração antes de decidir como proceder. Entenda melhor como os mecanismos sulcadores e a velocidade de deslocamento da semeadora podem afetar o desenvolvimento da soja em sucessão à braquiária no vídeo:

www.portaldbo.com.br

Fonte: DBO

Notícias