Impasse em relação ao frete ainda tem travado a chegada de fertilizantes, o que pode atrasar o plantio

Produtores rurais não estão conseguindo escoar a safra de soja 2017/2018 armazenada para abrir espaço para a safrinha de milho que está sendo colhida em virtude do tabelamento do frete, disse a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Paraná (Aprosoja PR), em nota divulgada nesta quinta-feira, 5. “As cooperativas que não têm frota própria de caminhões também estão sofrendo para escoar a soja de seus silos para abrir espaço para o milho segunda safra e também para realizar as entregas de fertilizantes que estão no Porto de Paranaguá, que por sinal está abarrotado de fertilizantes”, disse o presidente da associação, Márcio Bonesi. “Podem ocorrer atrasos no plantio da próxima safra de soja e consequentemente atraso do milho safrinha.”

Conforme Bonesi, os custos do tabelamento ficaram para o agronegócio. “O preço de produtos na lousa da cooperativa abaixaram e todos os custos do agronegócio subiram pois tudo do agronegócio depende do transporte rodoviário”, disse. Segundo ele, nas negociações com os líderes dos caminhoneiros, a ameaça de paralisação sempre vem à tona. “O agronegócio já está parado sem escoar as safras, sem receber os fertilizantes, e a população ficou com a alta de combustíveis e com toda alta dos alimentos e gás. Vamos ver se a população vai apoiar.”

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO.



Fonte: DBO

Notícias