Informações das investigações brasileiras sobre suposto uso de ractopmina foram entregues aos russos

O governo russo se comprometeu a avaliar com o "máximo de celeridade" a reabertura do mercado de carnes brasileiras. A declaração foi dada pelo chefe do Serviço Federal de Supervisão Veterinária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor), Sergey Dankvert, ao secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, do Ministério da Agricultura brasileiro, durante encontro na Alemanha.

Segundo nota do ministério, Dankvert teria ressaltado que o Brasil é um importante fornecedor de proteína animal para o mercado russo. Rangel integra comitiva do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que participa na Alemanha do Fórum Global para a Alimentação e a Agricultura (GFFA).

O secretário Rangel entregou pessoalmente a Dankvert informações consolidadas das investigações brasileiras sobre alegadas detecções de ractopmina (promotor de crescimento autorizado no Brasil, mas não aceito na Rússia) em produtos exportados ao país. De acordo com Rangel, houve interesse em informações finais sobre a recente abertura de mercado para o trigo da Rússia e sobre a possibilidade de autorizar plantas adicionais para importação de pescado russo. As primeiras importações de trigo deverão ocorrer em breve, segundo o secretário.

Luis Rangel relatou, ainda, que a reunião ocorreu em clima cordial e que foi apresentado um conceito de parceria entre os países em consideração à qualidade do produto brasileiro. Os russos suspenderam as importações de carnes bovina e suína do Brasil em novembro de 2017.

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: dbo

Notícias