Aproximadamente 350 professores dos municípios atendidos pelo Núcleo Regional de Educação de Maringá participam hoje durante todo o dia, no Restaurante Central do Parque de Exposições, do 2º Seminário Regional de Formação de Professores Agrinho.

 O objetivo desse seminário, que foi levado também a outros municípios pela Faep-Senar ( Federação de Agricultura do Estado do Paraná e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), é contribuir para a formação continuada dos professores das redes pública e privada, estadual e municipal, além da educação especial. A série de encontros, iniciados em 18 de junho, encerra-se em Maringá, neste dia 28.

Em cada evento, o programa Agrinho foi apresentado aos participantes, que depois tiveram a oportunidade de assistir a palestras com especialistas na área da educação de renome nacional e internacional. Em Maringá, ministrou palestra pela manhã a professora doutora Kátia Ethiénne, abordando o tema: “Inovação na Educação na era da disrupção”.

O evento foi aberto pelo supervisor regional do Senar/PR, Salvador José Stefano, que explicou a importância da formação: “temos dois pilares essenciais no país, um deles é a produção de alimentos e o outro a educação, que está nas mãos de vocês, que nos transmitem conhecimento e sabedoria”, disse ele, ao citar que os professores têm papel fundamental para formar cidadãos conscientes tanto nos processos produtivos do campo quanto da cidade.

A presidente da Sociedade Rural de Maringá, Maria Iraclézia de Araújo, participou do evento. “Para nós é uma honra receber esse seminário do Agrinho aqui, um programa que é referência no Estado. É de uma importância imensa ter os professores engajados nesse processo educacional do campo, levando informações para que a sociedade entenda como é vital a produção responsável de alimentos para todos nós”, disse ela.

Também participou a chefe do Núcleo Regional de Educação, Maria Inês Teixeira Barbosa. Ela destacou o fato de que há mais de 20 anos o programa Agrinho “oferece uma enorme contribuição para colocar o campo e a cidade em sintonia, fazendo um trabalho de resgate ao meio ambiente para que todos nós possamos viver melhor.”

Anualmente, o programa premia os melhores projetos pedagógicos elaborados por professores e os desenhos e redações produzidos pelos alunos. Também são premiadas as escolas e municípios que mais se destacam nas ações educativas propostas pelo programa. A premiação ocorre no final do ano em uma grande festa da educação realizada em Curitiba.


Fonte: Assessoria de Imprensa SRM

Notícias